Sobre a ABR

A Associação Brasileira de rafting nasceu em meio ao sonho de estruturar a modalidade rumo aos jogos olímpicos. Temos como objetivo maior projetos e regras em pró do esporte dentro do Brasil assim como, a qualificação e filiação de atletas que competem regularmente no país.

As metas serão aumentar equipes e atletas cadastrados que anualmente mantem seus treinamentos e participação em nacionais de rafting, justamente buscando a melhoria e intercambio de atletas de ponta com principiantes.

O Brasil possui o maior número de títulos em competições mundiais e é a grande maquina na qualificação e formação de atletas para a modalidade, somente com organização dos mesmos para um futuro promissor dentro do esporte.

A ABR tem como meta suprir as necessidades dos atletas e acompanhar direcionando de forma organizada os interesses em comum entre esporte e competidores.

O que é o Rafting?

O Rafting consiste na descida de rios em botes infláveis. Os integrantes da embarcação remam sob o comando de um Instrutor, responsável pela orientação do grupo durante o percurso.

A prática do Rafting implica conceitos muito importantes no relacionamento entre as pessoas, como solidariedade, união, liderança, trabalho em equipe e percepção sensorial!

O Rafting tem duas categorias; a comercial que são viagens comerciais vendidas por empresas aonde o guia de rafting garante a segurança e direcionamento da embarcação, e a competitiva aonde dentro da embarcação de 6 ou 4 atletas que garante a velocidade, técnica e sincronia durante cada dia de prova em uma competição.

HISTÓRICO NO BRASIL

O Rafting chegou ao Brasil em 1982, através da empresa TY-Y Expedições, cujas descidas se restringiam ao rio Paraíba do Sul e rio Paraibuna, ambos em Três Rios (RJ) com finas comerciais dentro do turismo.

Neste período a modalidade passou praticamente despercebida pelos brasileiros, pois toda a programação foi desenvolvida para atender exclusivamente aos turistas estrangeiros em férias no Rio de Janeiro.

Em 1996, consolidou sua expansão no mercado brasileiro com o surgimento de diversas empresas, localizadas em São Paulo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

O primeiro evento relacionado ao Rafting competitivo internacional foi no ano de 1999 no Camel Challenger Championship na África do Sul, aonde o Brasil teve sua primeira participação em eventos relacionados. Desde então o Rafting tem crescido e promovido a qualificação e performance de muitos profissionais sendo o Brasil, atualmente grande responsável pela maioria de títulos em eventos competitivos da modalidade internacionalmente dizendo.

HISTÓRICO NO MUNDO

O primeiro registro de descida de Rafting no mundo data de 1869. Nesta época, John Wesley Powel – um dos expedicionários mais conceituados da história americana – organizou uma expedição no rio Colorado / EUA, em barcos de madeira com remo central.

A aventura resultou em algumas viradas e batidas em pedras, decorrentes de equipamentos primitivos e da falta de técnica para manobrar nas corredeiras os barcos pesados. Já o Rafting com finalidade comercial foi realizado somente em 1909 pela Julio’s Stone’s Grand Canyon, mas os botes ainda eram rígidos, de madeira.

Hoje o rafting comercial conquistou definitivamente seu espaço no cenário mundial. A emoção e o contato com a natureza proporcionados garantiram sua presença nos arredores dos grandes centros urbanos e turísticos de nosso planeta, sendo uma das principais formas de conhecer as regiões onde é oferecido.

Esportivamente o Rafting é praticado extraoficialmente há quase 15 anos com disputas na Europa, mas apenas com a criação da IRF (Internacional Rafting Federation) tivemos o primeiro Campeonato Mundial, realizado em 1999 na África do Sul, e o Brasil esteve presente representado pela equipe Masculina Master, que obteve a 7ª colocação.

PRIMEIROS FATOS

Os primeiros fatos relacionados a competição no brasil foi logo após a participação da equipe masculina em 1999 no camel Challenger, na África.

O Rafting no Brasil então começou o processo de organização e elaboração de etapas nacionais, através do primeiro diretor da modalidade elegido, Denílson de Lima.

Durante os 10 anos em que se manteve ativo dentro da modalidade como diretor, o rafting teve evolução e desenvolvimento positivo entre as competições estruturando nacionais de porte classificatórios para eventos internacionais , estando vinculado a Confederação Brasileira de Canoagem ,ao qual deu todo o suporte e abertura para a modalidade crescer durante este processo e adaptação da atividade de forma competitiva no país.

No ano de 2012 o Rafting foi assumido pela diretora e atual vice -presidenta Rebeca Fernandes e durante o seu mandado emancipou a modalidade da Confederação Brasileira de Canoagem trazendo, mas autonomia e foco na elaboração e desenvolvimento da atividade dentro de competições nacionais e internacionais e voltando com copas resgates.

O desenvolvimento e oficialização da modalidade de forma autônoma trouxe parcerias na organização dos eventos relacionados a modalidade, hoje representada pelo fundador e atual presidente da Associação Brasileira de Rafting Sr.William Tomaz que se dedica desde 2017 a organizar, desenvolver projetos com os fins de favorecer o rafting trazendo mais visibilidade internacional, estruturação e qualificação dos atletas que praticam de forma competitiva a modalidade.

INÍCIO DO RAFTING NO BRASIL

No brasil a primeira competição que se tem registro foi no ano de 2001 no município Tibagi – PR e Nova Padua no RS.

Antigamente o numero de equipes era consequentemente maior e contavam com menos técnica e equipamentos direcionados para o esporte.

No ano de 2002 foi elaborado o primeiro nacional de rafting em rio de categoria classe IV, realizada no Sul do brasil, no rio Itajaí-Açu em Santa Catarina.

Desde então, o esporte vem crescendo pelo Brasil, a procura e formação de atletas dentro de nosso país potente, mas recém estruturada, consequentemente faz com que haja melhoria de equipamentos usados e direcionado para a atividade de forma competitiva que vem sofrendo melhorias diárias em busca da melhor performance e segurança do atleta.

Atualmente o Brasil possui fabricantes de barcos e utensílios de segurança para atletas juntamente com a formação e treinamento adequado que o mesmo recebe para competir.

PRINCIPAIS DATAS NA CANOAGEM BRASILEIRA

Campeonato nacional de Rafting em Tibagi – PR -2001
Campeonato Mad River de Rafting – Nova Pádua – RS 2001
Campeonato Nacional de Rafting Apiuna-SC – 2002
Copa Centro Oeste Rafting -Rio Doce -GO – 2003
Campeonato Rafting R6 – Nova Roma do Sul – RS – 2003
Campeonato Nacional de Rafting – Três Rios – Rio de Janeiro- 2004
Campeonato Nacional de Rafting – Três Coroas – RS-2005
Copa Rafting – Itacaré – Bahia- 2005
Campeonato Brasileiro de Rafting R6 – Juquitiba – SP – 2006
Campeonato Brasileiro de Rafting R6 -Brotas – SP- 2007
Campeonato Brasileiro de Rafting R6 – Foz do Iguaçu – PR- 2008
Copa Brasil de Rafting – Brotas – SP-2009
Campeonato Brasileiro e copa Seletiva para o Campeonato Pan-americano -Foz do Iguaçu – PR – 2009
Campeonato Pan-americano de Rafting -Foz do Iguaçu – PR – 2010
Campeonato Brasileiro de Rafting R6 -Extrema – MG-2010
Campeonato Brasileiro de Rafting R6 – Foz do Iguaçu – PR-2011
Campeonato Brasileiro de Rafting R4 -Juquitiba – SP
Campeonato Brasileiro de Rafting R6 -Brotas – SP-2012
Campeonato Brasileiro de Rafting R4 -Socorro – SP- 2013
Campeonato Brasileiro de Rafting R6 – Juquitiba – SP – 2013
Campeonato Brasileiro de Rafting R6 – Apiuna – SC – 2014
Campeonato Brasileiro de Rafting R4 Ipê – RS – 2014
Campeonato Brasileiro de Rafting R4 (Etapa Classificatória) e Copa Resgate de Rafting – Apiuna – SC – 2015
Campeonato Brasileiro de Rafting R6 – Socorro – SP -2016
Campeonato Brasileiro de Rafting R4 – Brotas – SP – 2016
Campeonato Brasileiro de Rafting R4 -Socorro – SP – 2017
Campeonato Brasileiro de Rafting R6 – Brotas – SP – 2017

 

PERGUNTAS E RESPOSTAS

Do que são feitas as embarcações e quantas pessoas levam um barco de rafting

As embarcações de rafting são feitas em sua grande maioria de PVC e á diferentes tipos de tamanhos de embarcações que são desde 9 á 22 pés.

No Brasil as que mais usamos são embarcações de 14 pés para ate 8 pessoas já com o guia.

As embarcações de competição são as mesmas usadas em viagens comerciais.

No geral sim, embarcações comerciais levam camadas extras e reforços de PVC para choques em pedras e paredes, geralmente atletas preferem os barcos que não tem estes reforços e deixam teoricamente a embarcação bem mais leve.

Quantos Atletas é necessário para um time de Rafting

Existem competições com 4 ou 6 pessoas então o mínimo de pessoas para um time seria de 4 pessoas no mínimo.

Quais são os cursos que tenho que fazer para ingressar na vida de guia de Rafting

Atualmente os cursos de rafting dependem da qualidade de operacional que a empresa trabalha.

As empresas de rafting no Brasil tem específicos e diferentes qualidades de treinamentos oferecidos pelas diferentes qualidades e características diferentes que o rio em que ela opera dispõe.

Os cursos que podem dar direcionamento hoje para um principiante no setor da atividade são:

Competências mínimas do condutor EAD       www.abeta.com.br

Escola de Guias de Rafting Mulher                   empresa Guarani Treinamentos

Curso de Guia de Rafting IRF                              empresa Pura Vida Treinamentos